Alepi

A ASSEMBLEIA | GALERIA DE FOTOS | WEBMAIL | NOTÍCIAS | OUVIDORIA | Organograma |
03-07-19 12:35

Homenagem aos 40 anos da ADUFPI é marcada por críticas as ações do Governo Federal

 

Homenagem a ADUFPI  é marcada por críticas as ações do Governo Federal
A Assembleia Legislativa do Estado realizou, na manhã de hoje, sessão solene em homenagem a aos 40 anos de fundação da Associação dos Docentes da Universidade Federal do Piauí (ADUPI). A sessão foi proposta pela deputada estadual Flora Izabel (PT).
Em sua fala, a parlamentar criticou o Governo Federal pelos cortes nas instituições federais e como o presidente da república tem tratado os movimentos contrários aos cortes. “Eu estudei na Universidade Federal do Piauí e enquanto estudante e militante, nós já fazíamos grandes parcerias com a ADUFPI na época da ditadura militar pela Universidade Pública de qualidade. Mas recentemente temos vistos ataques as instituições, como é a medida do Governo que reduz em 30% o orçamento das universidades. Diante dessas campanhas difamatórias contra as entidades representativas de garantia dos trabalhadores, além de ataques ao educadores brasileiros, só nos cabe a resistência”, disse a deputada Flora Izabel.
A parlamentar ainda lembrou todas as bandeiras e debates feitos pela entidade em defesa da educação superior e lembrou a gestão de todos os ex-presidentes da instituição. “A ADUFPI é palco de lugas e debates que ajudaram a fortalecer a Universidade Federal do Piauí a tornar-se o que ela é hoje”, finalizou a deputada.
A diretora acadêmica da ADUFPI, Maria do Socorro Leite disse que são 40 anos de lutas e resistência dentro da instituição e que ousar construir um sonho de libertação através da educação é muito difícil. Ela também contou a sua história dentro da UFPI e lembrou o quanto as bolsas a ajudaram a vencer os obstáculos.
O ex-presidente da ADUFPI, professor Mário Ângelo de Meneses Sousa, destacou a importância de defender o estado democrático de direito e dos direitos a educação. 
“As comemorações de quatro décadas de existência da ADUFPI está se dando em um clima de alerta a comunidade acadêmica, principalmente com relação aos ataques que o Governo Federal tem deferido contra a educação brasileira. Mas é importante ressaltar que a Associação vem se pautando, desde a sua fundação, na defesa intransigente dos direitos dos trabalhadores da educação, e assim continuará”, disse.
História - A criação da Associação dos Docentes da Universidade Federal do Piauí – ADUFPI data de 12 de junho de 1979. Os professores da UFPI se reuniram no auditório do Campus de Teresina sob coordenação de um grupo formado por representantes de cada centro. Esta reunião aprovou o projeto de criação da ADUFPI, visto que quase todas as universidades brasileiras já tinham uma associação e estava em andamento o projeto de criação do sindicato nacional.
Ziza Carvalho relembra perseguição da ditadura aos dirigentes, entre eles seu pai 
O deputado Ziza Carvalho (PT) disse, ao participar da sessão, que  a Adufpi sempre foi um baluarte na defesa da democracia e no combate às medidas de repressão do Regime Militar. Ele lembrou que o seu pai, professor Ubiraci Carvalho, foi o primeiro presidente da Associação eleito em 1979 e reeleito em 1981. Posteriormente o seu tio, professor José Reis Pereira, também foi dirigente da entidade.
“Tenho uma estreita ligação com a Adufpi porque vi dentro da minha casa as discussões sobre a formação e funcionamento da entidade. Posteriormente, consegui nos arquivos do Serviço Nacional de Informações, cópias dos relatórios da Ditadura Militar sobre os movimentos dos professores. Meu pai foi citado em 1981 quando se reelegeu presidente como tendo sido preso e indiciado por subversão em 1969 e 1974”, afirmou.
Para Ziza, os relatórios traziam todos os movimentos dos professores, que sempre defendiam a democracia e atacavam a ditadura militar. “Eles vigiavam os militantes e diziam que a exemplo de outros estados, no Piauí os dirigentes também eram subversivos. Mas, a Adufpi está aí para provar a sua importância, diante do atual governo que adota os ataques à imprensa, às minorias e à cultura”, assegurou.
Também falando na mesma sessão, a deputada Elisângela Moura (PCdoB) disse que os 40 anos da Adufpi se constituem um momento importante para a sociedade porque a entidade tem sido um instrumento de resistência, principalmente nos últimos meses quando a sociedade enfrenta momentos difíceis, com a perda de direitos e as instituições de ensino superior perdendo recursos.
O líder do Governo, deputado Francisco Limma (PT), saudou aos professores, dirigentes e servidores da Adufpi e afirmou que não existe universidade sem a participação da sociedade. “Ela sempre teve um papel importante na defesa das instituições de ensino superior e a universidade não pode se distanciar do povo. Não existe universidade sem polêmica, isso faz parte do instinto dos professores e estudantes”, encerrou.
Laryssa Saldanha / Durvalino Leal / - Edição : Katya D'Angelles 

 

A Assembleia Legislativa do Estado realizou, na manhã de hoje, sessão solene em homenagem a aos 40 anos de fundação da Associação dos Docentes da Universidade Federal do Piauí (ADUPI). A sessão foi proposta pela deputada estadual Flora Izabel (PT).Em sua fala, a parlamentar criticou o Governo Federal pelos cortes nas instituições federais e como o presidente da república tem tratado os movimentos contrários aos cortes. A tônica dos pronunciamentos sobre os 40 anos de existência da Associação dos Docentes da Universidade Federal do Piauí – ADUFPI foi a política do governo federal que corta recursos e desvaloriza o ensino universitário. 


“Eu estudei na Universidade Federal do Piauí e enquanto estudante e militante, nós já fazíamos grandes parcerias com a ADUFPI na época da ditadura militar pela Universidade Pública de qualidade. Mas recentemente temos vistos ataques as instituições, como é a medida do Governo que reduz em 30% o orçamento das universidades. Diante dessas campanhas difamatórias contra as entidades representativas de garantia dos trabalhadores, além de ataques ao educadores brasileiros, só nos cabe a resistência”, disse a deputada Flora Izabel.

A parlamentar lembrou também de todas as bandeiras e debates feitos pela entidade em defesa da educação superior e lembrou a gestão de todos os ex-presidentes da instituição. “A ADUFPI é palco de lugas e debates que ajudaram a fortalecer a Universidade Federal do Piauí a tornar-se o que ela é hoje”, finalizou.

A diretora acadêmica da ADUFPI, Maria do Socorro Leite, disse que são 40 anos de lutas e resistência dentro da instituição e que ousar construir um sonho de libertação através da Educação é muito difícil. Ela também contou a sua história dentro da UFPI e lembrou o quanto as bolsas a ajudaram a vencer os obstáculos.

O ex-presidente da ADUFPI, professor Mário Ângelo de Meneses Sousa, destacou a importância de defender o estado democrático de direito e dos direitos a educação. “As comemorações de quatro décadas de existência da ADUFPI está se dando em um clima de alerta a comunidade acadêmica, principalmente com relação aos ataques que o Governo Federal tem deferido contra a educação brasileira. Mas é importante ressaltar que a Associação vem se pautando, desde a sua fundação, na defesa intransigente dos direitos dos trabalhadores da educação, e assim continuará”, disse.

 

 

 

Ziza Carvalho relembra perseguição da ditadura aos dirigentes, entre eles seu pai 

 

 

O deputado Ziza Carvalho (PT) disse, ao participar da sessão, que  a Adufpi sempre foi um baluarte na defesa da democracia e no combate às medidas de repressão do Regime Militar. Ele lembrou que o seu pai, professor e ex-deputado Ubiraci Carvalho, foi o primeiro presidente da Associação eleito em 1979 e reeleito em 1981. Posteriormente o seu tio, professor José Reis Pereira, também foi dirigente da entidade.

“Tenho uma estreita ligação com a Adufpi porque vi dentro da minha casa as discussões sobre a formação e funcionamento da entidade. Posteriormente, consegui nos arquivos do Serviço Nacional de Informações, cópias dos relatórios da Ditadura Militar sobre os movimentos dos professores. Meu pai foi citado em 1981 quando se reelegeu presidente como tendo sido preso e indiciado por subversão em 1969 e 1974”, afirmou.

Ele lembrou que os relatórios traziam todos os movimentos dos professores, que sempre defendiam a democracia e atacavam a ditadura militar. “Eles vigiavam os militantes e diziam que a exemplo de outros estados, no Piauí os dirigentes também eram subversivos. Mas, a Adufpi está aí para provar a sua importância, diante do atual governo que adota os ataques à imprensa, às minorias e à cultura”, assegurou.

Também falando na mesma sessão, a deputada Elisângela Moura (PCdoB) disse que os 40 anos da Adufpi se constituem um momento importante para a sociedade porque a entidade tem sido um instrumento de resistência, principalmente nos últimos meses quando a sociedade enfrenta momentos difíceis, com a perda de direitos e as instituições de ensino superior perdendo recursos.

O líder do Governo, deputado Francisco Limma (PT), saudou aos professores, dirigentes e servidores da Adufpi e afirmou que não existe universidade sem a participação da sociedade. “Ela sempre teve um papel importante na defesa das instituições de ensino superior e a universidade não pode se distanciar do povo. Não existe universidade sem polêmica, isso faz parte do instinto dos professores e estudantes”, encerrou.

 

 

Professores falam sobre a importância da ADUFPI


A ex-diretora da ADUFPI, professora Edna Magalhães, afirmou que a entidade nasceu juntamente com a OAB e sua luta é o legado para as luas futuras. Entre as conquistas da Associação ela lembrou a simulação de uma eleição direta para os reitores, em 1988, o que veio a acontecer de fato em seguida.

O professor Alexandre Medeiros falou sobre a distância em que ficam as regionais da ADUFPI, mas destacou que mesmo assim a luta em defesa da educação é de todos. Ele defendeu a participação dos sindicatos nas decisões da ADUFPI, que são pela melhoria salarial e a interiorização do ensino universitário.


O reitor da Universidade Federal do Piauí, José Arimatéia Dantas , falou sobre sua chegada à entidade, um pouco antes da criação da ADUFPI. Ele disse que a Associação sempre atuou em defesa da Universidade, e que no momento a luta é uma só, sobretudo contra o bloqueio de 30% dos recursos das Universidades. Citando ação da OAB contra o Decreto presidencial que extingue cargos, ele disse esperar vitória também na luta pela manutenção dos recursos cortados.

Outro que também falou na solenidade foi o professor Jurandir Lima, diretor da ADUFPI. Ele criticou a maneira como o governo vem tratando a educação superior, com ataques aos professores, o que considera como causa a certeza de que eles não vão se calar diante da legislação que busca  enfraquecer o ensino universitário. A reforma da previdência também foi questionada pelo orador.

 

História - A criação da Associação dos Docentes da Universidade Federal do Piauí – ADUFPI data de 12 de junho de 1979. Os professores da UFPI se reuniram no auditório do Campus de Teresina sob coordenação de um grupo formado por representantes de cada centro. Esta reunião aprovou o projeto de criação da ADUFPI, visto que quase todas as universidades brasileiras já tinham uma associação e estava em andamento o projeto de criação do sindicato nacional.

 


 

 

 

 

 

Laryssa Saldanha / Durvalino Leal / - Edição : Katya D'Angelles 

 

 

 




 



Av. Mal. Castelo Branco, 201 - Cabral - Teresina/PI (86) 3133-3022 
Copyright © 2013 - Assembleia Legislativa do Piauí