Alepi

A ASSEMBLEIA | GALERIA DE FOTOS | WEBMAIL | NOTÍCIAS | OUVIDORIA | Organograma |
13-03-18 13:31

Deputado denuncia retificação criminosa de nota fiscal

O deputado Robert Rios (PDT) levou para a tribuna dois fatos novos relacionados com as denúncias feitas na sessão anterior, de
irregularidades na prestação de contas do governo de empréstimo junto à Caixa Econômica. Ele disse que o governo excluiu o Tribunal de
Contas do acesso online às contas do Estado e que os empresários que construíram obras com recursos de outras fontes retificaram as notas
fiscais, reforçando a atitude do secretário de Fazenda, que anulou os empenhos de pagamento de tais obras, para que elas constem como feitas
com recursos de empréstimo junto à Caixa Econômica.


Segundo Robert Rios, a atitude dos empresários que retificaram as notas fiscais é criminosa e pode resultar em cadeia, pois a intenção
foi fazer crer que o pagamento foi feito com recursos da primeira parcela do empréstimo junto à Caixa Econômica. E sobre o empréstimo,
Robert Rios repetiu o havia dito na sessão anterior: o governo pediu de volta a prestação de contas da primeira parcela do empréstimo, para
evitar que a oposição tivesse acesso aos dados contidos nela.


O deputado Rubem Martins (PSB) falou das várias visitas que tem feito à Caixa Econômica Federal, com os colegas Robert Rios e Gustavo Neiva (PSB),
onde constatou que o órgão está fazendo vistas grossas sobre a atitude do governo de evitar que a oposição tenha acesso à prestação de contas
da primeira parcela do empréstimo. Para Rubem Martins, o governo não está interessado em receber a segunda parcela do empréstimo, mas sim
em ficar adimplente. Outro que fez aparte foi o deputado Dr. Pessoa (PSD), que disse estar pronto para entrar na batalha pela apuração dos fatos, para que
a justiça possa ser feita.


Robert Rios concluiu seu pronunciamento afirmando que não adianta o governo impedir o acesso do TCE aos arquivos online, pois esses
arquivos já tinham sido copiados. Sobre a retificação de notas fiscais ele voltou a advertir que o fato pode gerar cadeia, por se tratar de
prática de organização criminosa que resultará em delação premiada.


Raimundo Cazé - Edição: Caio Bruno 



 



Av. Mal. Castelo Branco, 201 - Cabral - Teresina/PI (86) 3133-3022 
Copyright © 2013 - Assembleia Legislativa do Piauí