Alepi

A ASSEMBLEIA | GALERIA DE FOTOS | WEBMAIL | NOTÍCIAS | FALE CONOSCO | OUVIDORIA |
07-12-17 14:15

Sessão solene marca o centenário da Academia Piauiense de Letras

 

Assembleia Legislativa do Piauí realizou, na manhã desta quinta-feira (07), sessão solene em homenagem aos 100 anos da Academia Piauiense de Letras, comemorado no próximo dia 30 de dezembro. A sessão foi proposta pelo deputado e líder do Governo na Casa, João de Deus (PT).
“Como disse o ilustre Guimarães Rosa, as coisas mudam no devagar depressa dos tempos. A Nossa Academia Piauiense de Letras foi fundada por um grupo de amigos em 1917 e nesses 100 anos muitas as mudanças se consolidaram, e no mundo das letras isso fica perpetuado para a nossa alegria. A imponente APL nasceu da iniciativa daquele grupo e hoje tem muito a comemorar. Ela faz o registro da cultura de um povo, mantendo em perfeita harmonia a tradição e a modernidade e dinamismo. Por todo esse importante trabalho que a Academia tem é que hoje reconhecemos aqui a sua importância”, disse o deputado João de Deus.
Representando a vice-governadora Margarete Coelho (PP), o presidente da Fundação de Amparo a Pesquisa do Piauí, Francisco Guedes ressaltou as ações da atual gestão da APL. “A atual gestão está reconhecendo os anos de luta e trabalho da Academia e está criando a biblioteca e o Museu da Escrita. E por toda a sua história a FAPEPI se coloca a disposição da Academia como parceira para ampliar os horizontes principalmente na parte editorial”, disse. Guedes ainda aproveitou a oportunidade para criticar o atual Governo Brasileiro. “O atual Governo do Brasil está acabando com as academias universitárias e fazendo com que o país fique cada vez mais dependente das grandes potencias do mundo, principalmente nas questões tecnológicas, como vimos recentemente com a invasão da Universidade de Minas Gerais”, completou o presidente da FAPEPI.
Representando o presidente da Academia Piauiense de Letras, Nelson Nery Costa, o advogado e acadêmico Celso Barros Coelho agradeceu a homenagem. “Essa homenagem tem valor histórico e memorial, principalmente aqueles que fundaram a nossa Academia, acreditando no futuro e o futuro nos pertence. Hoje nos aproximamos 100 anos da APL e nos lembramos cada vez mais deles. Sem dúvida os nossos intelectuais estavam antenados com o que estava acontecendo no velho mundo naquela época e sentiram a necessidade de discutir o que acontecia no mundo, fundando assim a Academia Piauiense de Letras, o que nos orgulha”, disse Celso Barros Coelho.
A decana e acadêmica Nerina Castelo Branco também agradeceu e se disse surpreendida com a sessão solene em homagem a Academia. “Foi preciso a Academia fazer 100 anos para que fosse lembradas, num país que dá mais valor a político e jogador de futebol. Mas mesmo assim nós só temos a agradecer a homenagem e lembrar de nossos fundadores que mudaram a história da cultura do nosso Estado”, disse.
Estiveram presentes ainda na sessão o ex-deputado Homero Castelo Branco, Reginaldo Furtado, o juiz Elmar Carvalho, professor Jonatas Nines, o secretário da APL Herculano Moraes, Dr. Manfredi Mendes de Cerqueira, a conselheira estadual de cultura Dora Medeiros, Dra. Fides Angélica Ommati, o presidente da Academia Piauiense de Medicina José Itamar, o reitor da UESPI Nouga Cardoso, e o presidente do Sindicato dos Jornalistas do Piauí Luís Carlos Oliveira.
Laryssa Saldanha

A Assembleia Legislativa do Piauí realizou, na manhã desta quinta-feira (7), sessão solene em homenagem aos 100 anos da Academia Piauiense de Letras, comemorados no próximo dia 30 de dezembro. A sessão foi proposta pelo deputado e líder do Governo na Casa, João de Deus (PT).

“Como disse o ilustre Guimarães Rosa, as coisas mudam no devagar depressa dos tempos. A Nossa Academia Piauiense de Letras foi fundada por um grupo de amigos em 1917 e nesses 100 anos muitas as mudanças se consolidaram, e no mundo das letras isso fica perpetuado para a nossa alegria. A imponente APL nasceu da iniciativa daquele grupo e hoje tem muito a comemorar. Ela faz o registro da cultura de um povo, mantendo em perfeita harmonia a tradição e a modernidade e dinamismo. Por todo esse importante trabalho que a Academia tem é que hoje reconhecemos aqui a sua importância”, afirmou o deputado João de Deus.

Representando a vice-governadora Margarete Coelho (PP), o presidente da Fundação de Amparo a Pesquisa do Piauí, Francisco Guedes, ressaltou as ações da atual gestão da APL.  “A atual gestão está reconhecendo os anos de luta e trabalho da Academia e está criando a biblioteca e o Museu da Escrita. E por toda a sua história a FAPEPI se coloca a disposição da Academia como parceira para ampliar os horizontes principalmente na parte editorial”, destacou.

 

Guedes aproveitou a oportunidade para criticar o governo Temer. “O atual governo do Brasil está acabando com as academias universitárias e fazendo com que o país fique cada vez mais dependente das grandes potencias do mundo, principalmente nas questões tecnológicas, como vimos recentemente com a invasão da Universidade de Minas Gerais”, completou o presidente da FAPEPI.

 


A decana e acadêmica Nerina Castelo Branco também agradeceu a homenagem e se disse surpreendida com a sessão solene em homagem a Academia pois os intelecutais e artistas do Piauí ainda sofrem negação, mas que o momento não era para lembrar de coisas negativas e sim de festejar. “Foi preciso a Academia fazer 100 anos para que fosse lembradas, num país que dá mais valor a político e jogador de futebol. Mas mesmo assim nós só temos a agradecer ao deputado João de Deus e a Assembleia pela  homenagem, por lembrar de nossos fundadores que mudaram a história da cultura do nosso Estado”.

 

 

Representando o presidente da Academia Piauiense de Letras, Nelson Nery Costa, o advogado e acadêmico Celso Barros Coelho agradeceu a homenagem. “Essa homenagem tem valor histórico e memorial, principalmente aqueles que fundaram a nossa Academia, acreditando no futuro e o futuro nos pertence. Hoje nos aproximamos 100 anos da APL e nos lembramos cada vez mais deles. Sem dúvida os nossos intelectuais estavam antenados com o que estava acontecendo no velho mundo naquela época e sentiram a necessidade de discutir o que acontecia no mundo, fundando assim a Academia Piauiense de Letras, o que nos orgulha”, lembrou Celso Barros. 

 

Ele lembrou que representar a APL naquele momento o colocava como representante tanto da Academia quanto da Assembléia uma vez que foi deputado estadual cassado. "Dos 26 deputados que me cassaram todos já morreram", lembrou. Acrescentando também que a mesma Assembleia lhe devolveu o mandato há alguns anos. Agradeceu a homenagem citando e oferecendo aos deputados o poema 'O Caminho' que tem como  autor o seu  patrono na APL, José Nilton de Freitas; "O caminho". 


Estiveram presentes ainda na sessão o ex-deputado Homero Castelo Branco, Reginaldo Furtado, o juiz Elmar Carvalho, professor Jonatas Nunes, o secretário da APL Herculano Moraes, Dr. Manfredi Mendes de Cerqueira, a conselheira estadual de Cultura Dora Medeiros, advogada e ex-presidente da OAB-PI, Fides Angélica Ommati, o presidente da Academia Piauiense de Medicina José Itamar, o reitor da UESPI Nouga Cardoso, e o presidente do Sindicato dos Jornalistas do Piauí Luís Carlos Oliveira.



O CAMINHO


Vinde a mim todos vós que sois humanos.
Vinde. Eu vos ensinarei o catecismo da fraternidade.
Vinde, ó meus irmãos! Meus braços ficarão do tamanho
do mundo para um amplexo cordial. Eu vos abraçarei em espírito.
Agora olhai para o Grande Caminho.
Não vedes uma estrela a iluminar a estrada?
Eu irei na frente para mostrar-vos o melhor.
Ela nos guiará como guiou os Magos outrora.
Vinde. No Grande Caminho todos serão iguais:
ricos, pobres, fortes, fracos.
Todas as cabeças estarão na mesma altura.
Nenhum homem falará para o outro com os olhos no chão.
Outrora houve um reformador sábio e santo.
Ele veio. Pregou a igualdade e a fraternidade.
Os ignorantes a serviço dos déspotas não o compreenderam.
Os ignorantes o crucificaram. Mas não crucificaram o ideal.
Cristo! Senhor! Volta! As massas esperam pelo teu regresso.
Vem e repete a tua doutrina aos transviados do Grande Caminho.
Sicários de poderosos querem apagar a tua lei.
Volta antes que as massas desesperem.
Antes que os oprimidos tirem teu nome de dentro da alma.
Abandonados, decepcionados.
Nós não te desejamos em corpo.

Os déspotas crucificariam teu corpo novamente.
Vem em espírito. Que a força da tua presença derrube a tirania.
Queremos é o teu Poder. E a multidão se levantará invencível,
a multidão que não deixou de ter fé.
A multidão quer o teu reino aqui mesmo,
quer ouvir ao menos o ecoar da tua Palavra...



Laryssa Saldanha - Edição: Katya D'Angelles


Mais fotos

 



Av. Mal. Castelo Branco, 201 - Cabral - Teresina/PI (86) 3133-3022 
Copyright © 2013 - Assembleia Legislativa do Piauí