OAB-PI sugere representação contra descaso do governo com a Uespi
09/10/2019 13h02

 

A Ordem dos Advogados do Brasil, seção do Piauí (OAB-PI), está à disposição dos professores, alunos e funcionários da Universidade Estadual do Piauí para entrar com ação civil pública contra o Governo do Piauí visando melhorar as condições de funcionamento daquela instituição de ensino, afirmou o representante da entidade, advogado Sérgio Mota, durante a audiência pública realizada hoje (9) na Assembleia Legislativa.
Sérgio Mota disse que a OAB-PI apóia a comunidade universitária na luta em defesa da Uespi e que considera um descaso do Governo o fato de não adotar medidas com o objetivo de atender as reivindicações dos professores, alunos e funcionários, incluindo a melhoria das condições salariais e de estrutura dos campi de Teresina e do interior do Estado.
O promotor aposentado Carlos Rubens, que, também, se pronunciou durante a audiência pública, lamentou as atuais condições de funcionamento da Uespi, principalmente no Campus Possidônio Queiroz, situado em Oeiras. Ele criticou a decisão do governador Wellington Dias de não receber uma comissão de lideranças políticas e de representantes da comunidade universitária para tratar sobre o Campus de Oeiras, como lhe informou o presidente da Câmara daquele município, vereador José Alberto (PSB).
As estudantes Letícia Oliveira, de Oeiras, e Antônia Oliveira, de Teresina, também, criticaram as condições dos campi da Uespi e cobraram a adoção de medidas concretas visando a melhoria do funcionamento daquela instituição de ensino. Letícia Oliveira disse que o Campus Possidônio Queiroz, em Oeiras, está ameaçando de fechar, pois, devido a falta de professores, muitos alunos não podem se formar, como ocorre com os que estão matriculados no Curso de Matemática.

A Ordem dos Advogados do Brasil, seção do Piauí (OAB-PI), está à disposição dos professores, alunos e funcionários da Universidade Estadual do Piauí para entrar com ação civil pública contra o Governo do Piauí visando melhorar as condições de funcionamento daquela instituição de ensino. A afirmação é do advogado Sérgio Mota, durante a audiência pública realizada na Comissão de Educação da Assembleia Legislativa.

Sérgio Mota disse que a OAB-PI apóia a comunidade universitária na luta em defesa da Uespi e que considera um descaso do governo o fato de não adotar medidas com o objetivo de atender às reivindicações dos professores, alunos e funcionários, incluindo a melhoria das condições salariais e de estrutura dos campi de Teresina e do interior do Piauí.


O promotor aposentado Carlos Rubens, que, também, se pronunciou durante a audiência pública, lamentou as atuais condições de funcionamento da Uespi, principalmente no Campus Possidônio Queiroz, situado em Oeiras. Ele criticou a decisão do governador Wellington Dias de não receber uma comissão de lideranças políticas e de representantes da comunidade universitária para tratar sobre o Campus de Oeiras, como lhe informou o presidente da Câmara daquele município, vereador José Alberto (PSB).

As estudantes Letícia Oliveira, de Oeiras, e Antônia Oliveira, de Teresina, também, criticaram as condições dos campi da Uespi e cobraram a adoção de medidas concretas visando a melhoria do funcionamento daquela instituição de ensino. Letícia Oliveira disse que o Campus Possidônio Queiroz, em Oeiras, está ameaçando de fechar, pois, devido a falta de professores, muitos alunos não podem se formar, como ocorre com os que estão matriculados no Curso de Matemática.

J. Barros - Edição: Katya D'Angelles

Av. Mal. Castelo Branco, 201 - Cabral - Teresina/PI (86) 3133-3022 Copyright © 2019 - Assembleia Legislativa do Piauí