Teresa Britto aborda diversos assuntos durante pronunciamento
13/03/2019 13h31

 

Citando o exemplo de uma deficiente visual que foi importunada numa praia de Santa Catarina, por andar guiada por um cão, a deputada Teresa Britto (PV) falou sobre projeto de sua autoria dando o direito aos deficientes, da mesma forma que já existe em Santa Catarina. Ele pediu o apoio dos colegas, a partir das comissões técnicas. Ela
explicou com detalhes como os cães são treinados para guiar os deficientes em qualquer local, menos nos hospitais.
Outra questão abordada pela deputada foi a reforma administrativa do governo, no tocante à Coordenadoria de Políticas para as mulheres, que passa a ser subordinada à vice-governadoria, perdendo o statos de secretaria. Em aparte, o deputado Zé Santana (MDB) explicou que a vinculação será à Governadoria, e não à vice-governadoria.
Teresa Britto falou também sobre as fundações Cepro e Fapepi, que estariam com uma mesma função, no caso as pesquisas. Ela aproveitou para culpar os atrasos no pagamento dos salários dos terceirizados à falta de um planejamento eficiente. O deputado Franzé Silva (PT) ofereceu aparate para explicar que no caso das duas fundações não há sobreposição de uma em relação à outra.
A deputada concluiu seu pronunciamento falando sobre sua atuação na Casa, que é no sentido de ajudar e não de se beneficiar. Disse que um deputado ganha bem, 18 salários mínimos por mês, e por isso tem a obrigação de atuar em defesa da população.
Raimundo Cazé - 

Citando o exemplo de uma deficiente visual que foi importunada numa praia de Santa Catarina, por andar com um cão-guia, a deputada Teresa Britto (PV) falou sobre projeto de sua autoria dando o direito aos deficientes, da mesma forma, que já existe em Santa Catarina, de acesso a ambientes públicos como esses animais.

Teresa Britto pediu o apoio dos colegas, a partir das comissões técnicas. Ela explicou com detalhes como os cães são treinados para guiar os deficientes em qualquer local, menos nos hospitais.

Mulheres

Outra questão abordada pela deputada foi a reforma administrativa do governo, propondo que a Coordenadoria de Políticas para as Mulheres, seja subordinada à governadoria e tenha status de secretaria.

Em aparte, o deputado Zé Santana (MDB) explicou que a vinculação será à Governadoria, e não à Vice-governadoria, mas que a gestão ficará a cargo da vice-governadora Regina Sousa.

Sobreposição

Teresa Britto reclamou da sobreposição de funções das Fundação Cepro e Fapepi, com a mesma atribuição, que é a realização de pesquisa.

A oradora culpou os atrasos no pagamento dos salários dos terceirizados à falta de um planejamento eficiente no governo.

O deputado Franzé Silva (PT), em aparte, explicou que em relação às duas fundações, não há sobreposição de funções. A Cepro faria pesquisas economicas e sociais. A Fapepi, pesquisa científica.

A deputada concluiu seu pronunciamento falando sobre sua atuação no parlamento, que é no sentido de ajudar o cidadão e não de se beneficiar do mandato.

Teresa Britto disse que, como deputada ganha "muito bem, 18 salários mínimos por mês", e por isso tem a obrigação de atuar em defesa da população.

Raimundo Cazé - Edição: Paulo Pincel

Av. Mal. Castelo Branco, 201 - Cabral - Teresina/PI (86) 3133-3022 Copyright © 2019 - Assembleia Legislativa do Piauí