Reforma não vai tramitar em regime de urgência, afirma presidente
18/02/2019 13h17

 

Durante a fala do governador Wellington Dias (PT), hoje (18) na entrega da mensagem de reforma administrativa, o presidente Themístocles Filho (MDB) respondeu aos jornalistas sobre uma eventual convocação do regime de urgência para votação das propostas. A reforma, segundo Themístocles Filho, vai tramitar em regime normal e terá que passar por quatro comissões técnicas antes de ir a Plenário.

 

 

Depois de uma reunião fechada com os deputados no gabinete da Presidência, onde apresentou os principais pontos da reforma administrativa, o governador Wellington Dias entregou ao presidente da Assembleia Legislativa, deputado Themístocles Filho (MDB), as cinco Mensagens do Executivo que dependem de aprovação nas comissões técnicas e em Plenário.
Ao lado do presidente Themístocles Filho e do líder do Governo na Assembleia Legislativa, deputado Francisco Limma (PT), Wellington Dias concedeu entrevista, quando adiantou que as medidas fazem parte de um programa de ajuste, que visa o equilíbrio financeiro com o corte de gastos, de modo que o Estado possa investir em várias áreas entre 2019 e 2022.
 
Wellington Dias pretende economizar cerca de R$ 400 milhões por ano, sendo que R$ 300 milhões em despesas de custeio e R$ 100 milhões com outras despesas. Haverá a fusão, adequação e extinção de 19 órgãos, a maioria coordenadorias.
 
A reorganização administrativa do Estado vai permitir a execução do Programa de Desenvolvimento Econômico, que estabelece como meta elevar o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) acima de 0,7.
 
Durante a fala do governador, o presidente Themístocles Filho respondeu aos jornalistas sobre uma eventual convocação do regime de urgência para votação das propostas. A reforma, segundo Themístocles Filho, vai tramitar em regime normal e terá que passar por quatro comissões técnicas antes de ir a Plenário.

Depois de uma reunião fechada com os deputados, no gabinete da Presidência, onde apresentou os principais pontos da reforma administrativa, o governador Wellington Dias entregou ao presidente as 7 mensagens do Executivo que dependem de aprovação nas comissões técnicas e em Plenário.

Ao lado do presidente Themístocles e do líder do Governo na Assembleia Legislativa, deputado Francisco Limma (PT), o governador concedeu entrevista, quando adiantou que as medidas fazem parte de um programa de ajuste, que visa o equilíbrio financeiro com o corte de caregos e gastos, de modo que o Estado possa investir em várias áreas entre 2019 e 2022.
 
Wellington Dias pretende economizar cerca de R$ 400 milhões por ano, sendo que R$ 300 milhões em despesas de custeio e R$ 100 milhões com outras despesas. Haverá a fusão, adequação e extinção de 19 órgãos, a maioria coordenadorias.  A reorganização administrativa do Estado vai permitir a execução do Programa de Desenvolvimento Econômico, que estabelece como meta elevar o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) acima de 0,7.
 

 

 


Paulo Pincel - Edição: Katya D'Angelles

Av. Mal. Castelo Branco, 201 - Cabral - Teresina/PI (86) 3133-3022 Copyright © 2019 - Assembleia Legislativa do Piauí