João Mádison critica a adoção de novas medidas restritivas pelo governo
23/02/2021 12h43

 

João Mádison avalia a adoção de medidas restritivas pelo Governo do Estado
O deputado João Mádison (MDB) criticou a adoção das novas medidas restritivas anunciadas pelo  governador Wellington Dias (PT) na manhã de ontem (22). De acordo com o parlamentar, poderiam ser adotadas  medidas alternativas como  horários diferenciados para o comércio, por exemplo, em vez do fechamento total.
Segundo João Mádison, Teresina está pagando um preço alto, durante a pandemia. “75% de vagas de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) ocupadas na capital, estão atendendo pessoas do interior do Estado. Teresina está tomando precauções. Não é justo que a cidade pague esse preço. De um modo geral, o comércio poderia funcionar de 9h às 16h, como os bancos. Mas parar tudo novamente, inclusive as escolas, não é justo”, afirma o parlamentar.
O anúncio do lockdown parcial no Estado, aconteceu após a ocupação de leitos de UTI chegar a mais de 90%, provocando risco de colapso na rede de saúde.
João Mádison alertou para o possível aumento de problemas sociais, em decorrência da adoção do lockdown. “Temos que buscar uma saída para isso . O decreto não vai resolver. Isso vai criar mais pessoas passando fome porque o desemprego está campeando. Se você não tem o auxílio, as pessoas morrerão de fome”, analisou referindo-se ao auxílio emergencial concedido pelo Governo Federal no ano passado.
O decreto referente às novas medidas restritivas ainda não foi publicado. De acordo com a redação provisória do documento, ficarão suspensas até o dia 7 de março todas as atividades presenciais, com exceção dos serviços essenciais. 
Andréia Sousa
--

O deputado estadual João Mádison (MDB) criticou a adoção das novas medidas restritivas, anunciadas ontem (22) pelo  governador Wellington Dias (PT). De acordo com o parlamentar, poderiam ser adotadas  medidas alternativas como horários diferenciados para o comércio, por exemplo, ao invés do fechamento total com o proposto.

Segundo João Mádison, Teresina paga um preço alto demais pela crise financeira provocada pela pandemia. “75% de vagas de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) ocupadas na capital estão atendendo pessoas do interior do Estado. Teresina está tomando precauções. Não é justo que a cidade pague esse preço. De um modo geral, o comércio poderia funcionar de 9h às 16h, como os bancos. Mas parar tudo novamente, inclusive as escolas, não é justo”, avalia o parlamentar.

O anúncio do lockdown parcial no Piauí acontece após a ocupação de leitos de UTI chegar a mais de 90%, provocando risco de colapso na saúde.

João Mádison alertou para o possível aumento de problemas sociais, em decorrência da adoção do lockdown. “Temos que buscar uma saída para isso . O decreto não vai resolver. Isso vai criar mais pessoas passando fome porque o desemprego está campeando. Se não têm o auxílio, as pessoas morrerão de fome”, alertou, referindo-se ao auxílio emergencial concedido pelo Governo Federal no ano passado.

O decreto referente às novas medidas restritivas ainda não foi publicado no Diárioo Oficial do Estado. De acordo com a redação provisória do documento, ficarão suspensas até o dia 7 de março todas as atividades presenciais, com exceção dos serviços essenciais. O governo reúne o COE ampliado no final da tarde para reavaliar o decreto.

Andréia Sousa - Edição: Katya D'Angelles

Av. Mal. Castelo Branco, 201 - Cabral - Teresina/PI (86) 3133-3022 Copyright © 2019 - Assembleia Legislativa do Piauí